Mo?ambique: Banco Africano de Desenvolvimento aumenta para $2.5 million a sua contribui??o financeira total para apoiar o conte?do local e cria??o de emprego em Mo?ambique

MIL OSIABIDJAN, Costa do Marfim, 16 de november 2021/APO Group/ —

O Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento (www.AfDB.org) aprovou uma contribuição adicional no valor de $1.5 milhões para Moçambique para apoiar o desenvolvimento de conteúdo local e de Pequenas e Médias Empresas (PME) com enfoque em negócios liderados por mulheres no sector dos recursos naturais do país.

Esta nova aprovação eleva o compromisso total da Instituição para o Desenvolvimento de PMEs para $2.5 milhões, após uma contribuição inicial de $1 milhão ocorrida em Junho de 2021 para o Instituto para a Promoção das Pequenas e Médias Empresas (IPEME) no âmbito do Projecto de Desenvolvimento de Conteúdo Local multisectorial em Negócios Liderados por Jovens e Mulheres de Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) (MOZYWEB).  O referido financiamento foi proveniente do Fundo Fiduciário de Multi-Doadores para Empreendedorismo e Inovação Juvenil (YEI MDTF) (https://bit.ly/3wPvrCj).

A nova contribuição aprovada, proveniente de duas fontes do Banco – a Acção Financeira Afirmativa para as Mulheres em África (AFAWA) (https://bit.ly/3wSuppd), por meio da Iniciativa Financeira para Mulheres Empreendedoras (WeFi) (https://bit.ly/3kGJghD), e o Fundo de Assistência ao Sector Privado Africano (FAPA) (https://bit.ly/3Hlnh9D) – fornecerá assistência técnica e institucional à Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), a companhia petrolífera nacional de Moçambique no âmbito da Iniciativa LinKar.

Estes contribuicões são realizados na sequência da aprovação em Novembro de 2019, pelo Conselho de Administração do BAD, de um empréstimo no valor de $400  milhões para a “Área 1 de GNL de Moçambique”.  O acordo de financiamento contempla o reforço da capacidade de desenvolvimento de empresas locais através de programas específicos de assistência técnica para a criação de empregos no país.

A Iniciativa LinKar irá concentrar-se na melhoria da capacidade das PMEs locais, fornecedoras de bens e serviços numa grande variedade de subsectores, incluindo restauração, material de escritório, formação, gestão de instalações, despacho aduaneiro, recrutamento e logística, fazendo desta forma progredir a economia do país.

Estevão Pale, o PCA da ENH, afirmou: “A implementação de projectos de gás, previstos nos próximos 12 a 24 meses, do GNL Flutuante de Coral e da Área 1 (pela TOTAL), na Bacia do Rovuma, bem como a construção do projecto da Central Térmica de Temane ( CTT), exige uma materialização urgente das quatro áreas de acção da LINKAR: capacitação, financiamento, assistência técnica e contratação de PMEs”. O projecto CTT está projectado para gerar uma média de 450MW de potência e a produção de 30.000 toneladas de GPL (gás doméstico) na Bacia de Inhambane. 

“Ambos os programas (LinKar e MOZYWEB) apoiarão mais de 300 empresas locais, proporcionando-lhes acesso a competências e certificação, acesso a contratos e financiamento de instituições financeiras locais. Estas PMEs irão criar empregos, especialmente para mulheres e jovens, e impulsionar o conteúdo local na indústria do petróleo e gás em Moçambique”, reforçou o Representante Residente do Banco Africano de Desenvolvimento, César Augusto Mba Abogo, comentando sobre o apoio do Banco a Moçambique.

Comentando sobre a contribuição , Marieme Ester Dessanou, Coordenadora da Acção Financeira Afirmativa para as Mulheres em África (AFAWA), iniciativa do Banco Africano de Desenvolvimento, afirmou: “O empoderamento económico das mulheres africanas é um pré-requisito para o crescimento económico sustentável. Investir nas mulheres significa investir no futuro de África. A Pandemia da Covid-19 afectou muitos ganhos conseguidos na última década para as mulheres emprendedoras. A AFAWA está entusiasmada em alavancar os fundos da Iniciativa Financeira para Mulheres Empreendedoras (WeFi) e apoiar empresas de propriedade/dirigidas por mulheres no sector do petróleo e gás em Moçambique”.

ENH- Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, o organismo governamental responsável pela exploração, produção e comercialização de hidrocarbonetos em Moçambique, está empenhada em aproveitar os recursos de gás de Moçambique para impulsionar um crescimento económico mais amplo e criar empregos locais sustentáveis.