Secretária de Estado da Defesa Nacional preside a «Exército – Parceiro Tecnológico Nacional»

MIL OSI

A Secretária de Estado da Defesa Nacional, Ana Santos Pinto, e o Chefe de Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, estiveram presentes no evento no «Exército – Parceiro Tecnológico Nacional», que decorreu em Guimarães, a cidade-berço do Exército Português.

No seu primeiro ato oficial, a Secretária de Estado da Defesa Nacional destacou o triângulo virtuoso das «sinergias entre as Forças Armadas – neste caso particular o Exército – a Academia e a Base Industrial e Tecnológica de Defesa com esta componente muitíssimo importante das empresas».
 
Para Ana Santos Pinto, «aquilo que vimos hoje são concretizações do presente», e não do futuro, apresentando uma realidade «da qual todos nós nos devemos orgulhar e que deve servir de exemplo para aquilo que é o potencial de desenvolvimento de projetos que têm como objetivo, não só a capacitação, as capacidades e desenvolvimentos das capacidades das Forças Armadas e do Exército, mas também aquilo que é o potencial de exportação, através dos consórcios».

A Secretária de Estado afirmou que os produtos, agora apresentados, são fruto de «vários anos de trabalho», « de várias experiências que foram sendo realizadas, de várias melhorias e que têm a particularidade de procurar responder às necessidades do Exército», e que têm ainda «a capacidade de duplo uso o que, do ponto de vista do financiamento internacional, tem uma dimensão muito importante».

Após a assistir à apresentação de vários projetos de entidades e empresas, como o Centro de Informação Geoespacial do Exército, a Repartição de Capacidades/Divisão de Planeamento de Forças, do Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (CITEVE), da Universidade do Minho e da empresa Critical Software, a Secretária de Estado referiu, como mais-valia destes projetos, a proteção dos soldados e a melhoria do próprio conforto.

O evento incluiu a demonstração e a exposição de sistemas de comando e controlo, de proteção de viaturas e de contentores e a apresentação de um projeto para desenvolvimento de módulos de comando avançados.
 
Foram ainda entregues os Selos de Qualidade «Army Tested e Combat Proven», um modelo de certificação da responsabilidade do Estado-Maior do Exército, que qualifica sistemas de armas e equipamentos militares, destinado às empresas da Base Tecnológica Industrial de Defesa.

Secretária de Estado da Defesa Nacional preside a «Exército – Parceiro Tecnológico Nacional» Comemorações do Dia do Exército arrancaram em Guimarães com evento dedicado à tecnologia

MIL OSI

A Secretária de Estado da Defesa Nacional, Ana Santos Pinto, e o Chefe de Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, estiveram presentes no evento no «Exército – Parceiro Tecnológico Nacional», que decorreu em Guimarães, a cidade-berço do Exército Português.

No seu primeiro ato oficial, a Secretária de Estado da Defesa Nacional destacou o triângulo virtuoso das «sinergias entre as Forças Armadas – neste caso particular o Exército – a Academia e a Base Industrial e Tecnológica de Defesa com esta componente muitíssimo importante das empresas».
 
Para Ana Santos Pinto, «aquilo que vimos hoje são concretizações do presente», e não do futuro, apresentando uma realidade «da qual todos nós nos devemos orgulhar e que deve servir de exemplo para aquilo que é o potencial de desenvolvimento de projetos que têm como objetivo, não só a capacitação, as capacidades e desenvolvimentos das capacidades das Forças Armadas e do Exército, mas também aquilo que é o potencial de exportação, através dos consórcios».

A Secretária de Estado afirmou que os produtos, agora apresentados, são fruto de «vários anos de trabalho», « de várias experiências que foram sendo realizadas, de várias melhorias e que têm a particularidade de procurar responder às necessidades do Exército», e que têm ainda «a capacidade de duplo uso o que, do ponto de vista do financiamento internacional, tem uma dimensão muito importante».

Após a assistir à apresentação de vários projetos de entidades e empresas, como o Centro de Informação Geoespacial do Exército, a Repartição de Capacidades/Divisão de Planeamento de Forças, do Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (CITEVE), da Universidade do Minho e da empresa Critical Software, a Secretária de Estado referiu, como mais-valia destes projetos, a proteção dos soldados e a melhoria do próprio conforto.

O evento incluiu a demonstração e a exposição de sistemas de comando e controlo, de proteção de viaturas e de contentores e a apresentação de um projeto para desenvolvimento de módulos de comando avançados.
 
Foram ainda entregues os Selos de Qualidade «Army Tested e Combat Proven», um modelo de certificação da responsabilidade do Estado-Maior do Exército, que qualifica sistemas de armas e equipamentos militares, destinado às empresas da Base Tecnológica Industrial de Defesa.

Comemorações do Dia do Exército arrancaram em Guimarães com evento dedicado à tecnologia

MIL OSI

A Secretária de Estado da Defesa Nacional, Ana Santos Pinto, e o Chefe de Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, estiveram presentes no evento no «Exército – Parceiro Tecnológico Nacional», que decorreu em Guimarães, a cidade-berço do Exército Português.

No seu primeiro ato oficial, a Secretária de Estado da Defesa Nacional destacou o triângulo virtuoso das «sinergias entre as Forças Armadas – neste caso particular o Exército – a Academia e a Base Industrial e Tecnológica de Defesa com esta componente muitíssimo importante das empresas».
 
Para Ana Santos Pinto, «aquilo que vimos hoje são concretizações do presente», e não do futuro, apresentando uma realidade «da qual todos nós nos devemos orgulhar e que deve servir de exemplo para aquilo que é o potencial de desenvolvimento de projetos que têm como objetivo, não só a capacitação, as capacidades e desenvolvimentos das capacidades das Forças Armadas e do Exército, mas também aquilo que é o potencial de exportação, através dos consórcios».

A Secretária de Estado afirmou que os produtos, agora apresentados, são fruto de «vários anos de trabalho», « de várias experiências que foram sendo realizadas, de várias melhorias e que têm a particularidade de procurar responder às necessidades do Exército», e que têm ainda «a capacidade de duplo uso o que, do ponto de vista do financiamento internacional, tem uma dimensão muito importante».

Após a assistir à apresentação de vários projetos de entidades e empresas, como o Centro de Informação Geoespacial do Exército, a Repartição de Capacidades/Divisão de Planeamento de Forças, do Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (CITEVE), da Universidade do Minho e da empresa Critical Software, a Secretária de Estado referiu, como mais-valia destes projetos, a proteção dos soldados e a melhoria do próprio conforto.

O evento incluiu a demonstração e a exposição de sistemas de comando e controlo, de proteção de viaturas e de contentores e a apresentação de um projeto para desenvolvimento de módulos de comando avançados.
 
Foram ainda entregues os Selos de Qualidade «Army Tested e Combat Proven», um modelo de certificação da responsabilidade do Estado-Maior do Exército, que qualifica sistemas de armas e equipamentos militares, destinado às empresas da Base Tecnológica Industrial de Defesa.

Calendário de eventos entre 19 e 26 outubro de 2018

Source: Republic of Brazil

8/OUT a 2/NOV – Genebra. 124ª sessão do Comitê de Direitos Humanos (Continuação).

10 a 19/OUT– Genebra. XX Conferência Internacional de Estatísticos do Trabalho.

10 a 19/OUT – Genebra. XX Conferência Internacional de Estatísticos do Trabalho. (Continuação).

15 a 19/OUT – Londres. Reino Unido. 4ª Reunião Intersessional do Grupo de Trabalho Intersessional sobre a Estratégia de Redução de Gases de Efeito Estufa (ISWG-GHG) da Organização Marítima Internacional (IMO).

15 a 19/OUT – Genebra. 4ª sessão do Grupo de Trabalho Intergovernamental de composição aberta sobre corporações transnacionais e outras empresas com respeito aos direitos humanos.

15 a 19/OUT – Genebra. 63ª sessão do Grupo de Trabalho prévio ao Comitê de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais.

15 a 19/OUT – Roma, Itália. Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura(FAO). 45º Sessão do Comitê de Segurança Alimentar Mundial (CSA).

15 a 26/OUT – Londres, Reino Unido. IV Reunião do Grupo de Trabalho Intersessional sobre a Estratégia de Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa (ISWG-GHG-4) e 73ª sessão do Comitê de Proteção ao Meio Ambiente Marinho (MEPC73).

16 a 19/OUT – Santiago, Chile. IV Rodada de Negociação do acordo de livre comércio entre Brasil e Chile.

17 a 19/OUT – Genebra. 42ª sessão do Grupo de Trabalho sobre Comunicações sob o Protocolo Opcional à Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher.

17 a 20/OUT – Manama, Bahrein. 21ª reunião do Conselho do Fundo Verde para o Clima (GCF).

18 a 19/OUT – Brasília, DF. Reunião do Conselho do Centro Brasileiro-Argentino de Biotecnologia – CBAB/CABBIO.

18 a 19/OUT – Montevidéu, Uruguai. Reunião do Grupo Agenda Digital do Mercosul.

20 a 25/OUT – Barcelona, Espanha. 63ª reunião da Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números – ICANN.

21 a 29/OUT – Dubai. Emirados Árabes Unidos. 13ª Conferência das Partes Contratantes da Convenção de Ramsar sobre Zonas Úmidas.

22/OUT – Nova York, EUA. Evento “The 90th Anniversary of the Prohibition on the Use of Force”, copatrocinado pelo Brasil e Universidade de Yale, no contexto da “International Law Week”.

22/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Intervenção do Brasil no diálogo interativo da III Comissão, por ocasião da apresentação de relatório da Relatora Especial para os Direitos das Pessoas com Deficiências, Catalina Devandas Aguilar.

22/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Intervenção do Brasil no diálogo interativo da III Comissão, por ocasião da apresentação de relatório do Relator Especial para a Promoção e a Proteção do Direito à Liberdade de Opinião e Expressão, David Kaye.

22/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Intervenção do Brasil no diálogo interativo da III Comissão, por ocasião da apresentação de relatório do Perito Independente para os efeitos da dívida externa e de outras obrigações financeiras dos Estados sobre o pleno gozo dos direitos humanos, particularmente dos direitos econômicos, sociais e culturais, Juan Bohoslavsky.

22 e 23/OUT – Roma, Itália. Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). Conferência Internacional “Leaving no one behind – making the case for adolescent girls”.

22 a 24/OUT – Roma, Itália. Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). 107º Sessão do Comitê de Assuntos Constitucionais e Jurídicos.

22 a 24/OUT – Roma, Itália. Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). Reunião do AMIS Group – Sistema de Informação dos Mercados Agrícolas.

22 a 26/OUT – Londres, Reino Unido. 73ª reunião do Comitê de Proteção do Meio Ambiente Marinho da Organização Marítima Internacional (IMO).

22 a 26/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: trabalhos das VI Comissão.

22 a 26/OUT – Roma, Itália. Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). 42º Sessão da Comissão Geral de Pesca do Mediterrâneo (GFCM).

23/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: reunião de consultas informais sobre a resolução intitulada “O direito à privacidade na era digital”, patrocinada pelo Brasil.

23/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Evento paralelo aos trabalhos da II Comissão sobre endividamento e vulnerabilidade.

23 e 24/OUT – Cracóvia, Polônia. Pré-Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (Pre-Cop24).

24 a 27/OUT – Marraquexe, Marrocos. 6ª edição da Exposição Internacional Aeroespacial “Marrakech Air Show”.

25/OUT – Ottawa, Canadá. Reunião Ministerial do Grupo de Fortalecimento e Modernização da OMC.

25/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Intervenção do Brasil no diálogo interativo da III Comissão, por ocasião da apresentação de relatório da Relatora Especial para Execuções Extrajudiciais, Sumárias ou Arbitrárias, Agnes Callamard.

25/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Intervenção do Brasil no diálogo interativo da III Comissão, por ocasião da apresentação de relatório do Perito Independente para a proteção contra violência e discriminação baseada em orientação sexual e igualdade de gênero, Victor Madrigal-Borloz.

25/OUT – Nova York, EUA. 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas: Intervenção do Brasil no diálogo interativo da III Comissão, por ocasião da apresentação de relatório da Presidente-Relatora do grupo de trabalho intergovernamental aberto para a Declaração das Nações Unidas sobre os direitos dos camponeses e de outras pessoas trabalhando em áreas rurais, Ruddy Jose Monterrey.

25/OUT – Roma, Itália. Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). 103º Sessão do Comitê de Avaliação.

MIL OSI

17º Contingente Brasileiro da Força Tarefa Marítima se prepara para missão em 2019

Source: Republic of Brazil 2

Brasília, 18/10/2018 – O futuro Comandante da Força Tarefa Marítima (FTM), da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Unifil), e militares indicados pela Marinha do Brasil, para o Comando e Estado-Maior do 17º Contingente Brasileiro do Líbano (ContBrasL), participaram no Ministério da Defesa em Brasília, de 15 a 18 de outubro, da reunião de Comando e Estado-Maior.

Neste período, foram transmitidos conhecimentos sobre o cenário histórico, religioso, político e estratégico do Oriente Médio, além de orientar quanto aos princípios fundamentais concernentes ao desdobramento de contingentes em missões de paz, destacando-se a atuação do Estado-maior Conjunto das Forças Armadas. Cerca de 200 militares embarcarão na Fragata União em fevereiro de 2019 para compor o 17º ContBrasL. A Fragata será o navio capitânia na missão pelos próximos oito meses.
O Brasil comanda a FTM desde 2011. A Marinha mantém junto ao navio, um helicóptero orgânico na missão, comandando meios navais de outros cinco países, para patrulhar a costa libanesa de maneira a impedir a entrada de armas ilegais e mitigar o contrabando no país. Os militares brasileiros também contribuem com o treinamento da Marinha libanesa, para que a instituição possa conduzir suas atribuições de forma autônoma.
A missão possui um Estado-Maior multinacional e seis navios, da Alemanha, da Grécia, da Turquia, de Bangladesh, da Indonésia e, no momento, a Fragata Liberal, do Brasil. Atualmente, todos são comandados pelo almirante Eduardo Machado Vazquez, que assumiu em fevereiro deste ano.
Cada comandante permanece um ano na missão. O próximo a assumir será o almirante Eduardo Augusto Wieland. Ele, que será o oitavo brasileiro consecutivo a estar à frente da FTM, confessa que a oportunidade traz um coroamento para carreira de mais de 30 anos dedicados ao mar. “Como nós somos preparados, o comando no mar é quase uma plenitude de desejo ao longo da profissão. É uma honra e prestígio”, destacou. O almirante Wieland disse que a participação do Brasil na FTM é uma forma de mostrar a contribuição para a manutenção da paz e a atuação ativa no concerto das nações.
Navio
A Fragata “Liberal” substituiu a “Independência”, em 15 de setembro. A próxima embarcação que irá para o Líbano, é a Fragata “União”, que tem como atual comandante o capitão-de-fragata Paulo Ozório. Ele está preparando o navio para o contingente que embarcará em fevereiro. O militar que já havia participado dessa missão em 2017, afirma que é uma experiência incrível, pois é o momento em que é possível colocar em prática tudo aquilo para o qual se preparou ao longo da carreira. “Deixa ensinamentos mais técnicos, na questão humana de liderança e de acompanhamento de todos relacionamentos ao longo da missão. É um desafio muito grande”, destacou.
Em março de 2019, o capitão-de-fragata André Rodrigues Silva Selles assumirá o comando desse navio, no lugar do capitão-de-fragata  Paulo Ozório. Ele que iniciou a carreira nesta embarcação, considera a realização de um sonho a oportunidade de comandá-la. “Eu já tinha tentado voltar antes, mas por circunstâncias da carreira, não foi possível. Estou extasiado e feliz demais em retornar como comandante”, afirmou. 
Conhecimento
Durante quatro dias, os militares do Comando e Estado-Maior do 17º Contingente Brasileiro tiveram apresentações de palestrantes, civis e militares, sobre os diversos aspectos da missão no Líbano. Essa reunião compreende a primeira fase da preparação sob a égide do Ministério da Defesa. Após essa fase, os integrantes também passam por capacitações nos cursos em centros de instrução militar.  Para o chefe de Operações Conjuntas, do Ministério da Defesa, brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Júnior, essa fase inicial é uma oportunidade para absorver conhecimento e experiência dos palestrantes sendo fundamental para construção de uma base para cada integrante. “Que a missão seja aos moldes do que aconteceu no passado, coroada de êxitos”, desejou. 
Para falar sobre sua experiência e tirar dúvidas dos componentes do próximo contingente, o ex-comandante da FTM-Unifil, almirante Sergio Fernando de Amaral Chaves Junior participou da reunião. Na ocasião, ressaltou que essa missão é de extrema importância para fazer com que o Líbano e o ambiente marítimo sejam estáveis, pacíficos e seguros. “Nosso país tem dado uma contribuição muito grande para aquele povo”, pontuou.
A pesquisadora do Laboratório de Simulações e Cenários da Escola de Guerra Naval, professora Juliana Foguel contribuiu levando aos militares conhecimento sobre o contexto histórico do Líbano. Ela abordou a formação da identidade árabe-israelense.  “Saber qual é a história por trás dessa missão é fundamental para o sucesso dela. Sem entender como se formou o Oriente Médio, dificilmente se consegue compreender o conflito de hoje e mais complicado ainda vai ser para contribuir na conquista da paz e fazer minimamente a diferença”, ressaltou.
O conselheiro do Ministério das Relações Exteriores, Felipe Goulart também levou aos militares informações como estrutura, capacidades e doutrina das Forças Armadas libanesas. Ele, que trabalhou na embaixada do Brasil em Beirute, capital do país, destacou que desde a implementação da Unifil, em 1978, consolidou laços de cordialidade com os militares.
O Ministério da Defesa, por meio da Subchefia de Operações de Paz (SC4), é o principal elo com a tropa que está no Líbano e o Brasil durante a missão. “Serão meses muito felizes e importantes para a carreira e a vida pessoal de vocês. Aproveitem e boa missão a todos. ”, aconselhou o subchefe da SC4, almirante Rogério Ramos Lage. E o gerente da Seção de Planejamento e Preparo, coronel Fernando César Hernandes, apresentou a subchefia e explicou as etapas de uma operação de paz. “Todos que trabalham com isso são envolvidos com o assunto. O apoio a vocês é de 24 horas nos sete dias da semana”, assegurou.
O almirante Wieland considera que a reunião com militares do Comando e Estado-Maior permite conhecer os membros efetivos que vão estar com ele no ano que vem, além de mostrar a todos como é complexo o ambiente que irão viver.  “É um local denso de informações. Serve para nos alertar o que está ocorrendo no Oriente Médio. Com certeza, essa experiência vai nos permitir chegar lá melhor”, finalizou.
Por Júlia Campos
Fotos: Keven Cobalchini e Alexandre Manfrim/MD
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

MIL OSI

Ministra do Mar reuniu com sindicatos do Porto de Leixões

MIL OSI

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e os membros do Conselho de Administração da APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, reuniram esta sexta-feira, no Ministério do Mar, com sindicatos representativos dos trabalhadores do Porto de Leixões.

Na tarde desta sexta-feira foram realizadas duas reuniões, uma com os dirigentes do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias e outra com os dirigentes do Sindicato dos Estivadores e Conferentes de Tráfego dos Portos do Douro e Leixões, onde foram analisadas as alegadas situações de discriminação laboral que têm ocorrido no Porto de Leixões.

Ao contrário do que estava previsto, e da vontade expressa pela Ministra do Mar em reunir no próprio Porto de Leixões, a necessidade de estar presente no momento de consolidação do financiamento do projeto Windfloat Atlantic, que é um projeto estratégico para Portugal em matéria de energias renováveis oceânicas, levou à impossibilidade da Ministra do Mar se deslocar ao Porto de Leixões nesta sexta-feira.

Por tal, procedeu-se a um reagendamento da visita ao Porto de Leixões e aos seus terminais, para a próxima quarta-feira, dia 24 de outubro, tendo-se mantido as reuniões com os dirigentes sindicais no Ministério do Mar, decorrendo as mesmas exatamente nos mesmos moldes inicialmente previstos para o Porto de Leixões.

Ministra do Mar reuniu com sindicatos do Porto de Leixões Alegadas situações de discriminação laboral que têm ocorrido no Porto de Leixões foram analisadas

MIL OSI

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e os membros do Conselho de Administração da APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, reuniram esta sexta-feira, no Ministério do Mar, com sindicatos representativos dos trabalhadores do Porto de Leixões.

Na tarde desta sexta-feira foram realizadas duas reuniões, uma com os dirigentes do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias e outra com os dirigentes do Sindicato dos Estivadores e Conferentes de Tráfego dos Portos do Douro e Leixões, onde foram analisadas as alegadas situações de discriminação laboral que têm ocorrido no Porto de Leixões.

Ao contrário do que estava previsto, e da vontade expressa pela Ministra do Mar em reunir no próprio Porto de Leixões, a necessidade de estar presente no momento de consolidação do financiamento do projeto Windfloat Atlantic, que é um projeto estratégico para Portugal em matéria de energias renováveis oceânicas, levou à impossibilidade da Ministra do Mar se deslocar ao Porto de Leixões nesta sexta-feira.

Por tal, procedeu-se a um reagendamento da visita ao Porto de Leixões e aos seus terminais, para a próxima quarta-feira, dia 24 de outubro, tendo-se mantido as reuniões com os dirigentes sindicais no Ministério do Mar, decorrendo as mesmas exatamente nos mesmos moldes inicialmente previstos para o Porto de Leixões.

Alegadas situações de discriminação laboral que têm ocorrido no Porto de Leixões foram analisadas

MIL OSI

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e os membros do Conselho de Administração da APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, reuniram esta sexta-feira, no Ministério do Mar, com sindicatos representativos dos trabalhadores do Porto de Leixões.

Na tarde desta sexta-feira foram realizadas duas reuniões, uma com os dirigentes do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias e outra com os dirigentes do Sindicato dos Estivadores e Conferentes de Tráfego dos Portos do Douro e Leixões, onde foram analisadas as alegadas situações de discriminação laboral que têm ocorrido no Porto de Leixões.

Ao contrário do que estava previsto, e da vontade expressa pela Ministra do Mar em reunir no próprio Porto de Leixões, a necessidade de estar presente no momento de consolidação do financiamento do projeto Windfloat Atlantic, que é um projeto estratégico para Portugal em matéria de energias renováveis oceânicas, levou à impossibilidade da Ministra do Mar se deslocar ao Porto de Leixões nesta sexta-feira.

Por tal, procedeu-se a um reagendamento da visita ao Porto de Leixões e aos seus terminais, para a próxima quarta-feira, dia 24 de outubro, tendo-se mantido as reuniões com os dirigentes sindicais no Ministério do Mar, decorrendo as mesmas exatamente nos mesmos moldes inicialmente previstos para o Porto de Leixões.

Chapada dos Veadeiros lança edital de concessão de serviços

Source: Republic of Brazil 2

CONCESSÃO DE PARQUES
Edital da licitação do ICMBio para concessão dos serviços aos visitantes do principal atrativo da Chapada dos Veadeiros foi publicado no Diário Oficial da União

Por Geraldo Gurgel 
Cachoeira da Água Fria em Alto paraíso (GO). Crédito: AugustoMiranda/banco de imagens MTur Destinos
Já está disponível no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o edital com os detalhes dos serviços que serão concedidos para a empresa que vencer a licitação lançada nesta sexta-feira (19). A abertura dos envelopes está prevista para o dia 20 de novembro. A concessão inclui a operação de serviços de controle de acesso ao parque, recepção de visitantes, venda de ingressos, alimentação, loja de conveniência, espaço de campismo das Sete Quedas e transporte interno. Caberá a empresa contratada a realização de investimentos estimados em R$ R$ 2.258.000,00 (dois milhões, duzentos e cinquenta e oito mil reais) para a melhoria da infraestrutura.
“A concessão dos serviços é um passo fundamental para alcançarmos o objetivo de transformar nossas unidades de conservação em atrativos turísticos que contribuam para a preservação da natureza e para geração de emprego e renda nas regiões onde estão localizadas”, afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Ele lembra que o Brasil é o primeiro do mundo em atrativos naturais, segundo ranking de competitividade no turismo do Fórum Econômico Mundial, mas que o volume de visitantes nos parques nacionais, carca de 10,7 milhões em 2017, ainda está aquém do imenso potencial do país.
 O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado nos municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Nova Roma, Teresina de Goiás e São João D’Aliança, no estado de Goiás. As principais atividades para os turistas são: caminhada em trilhas, travessia, banho em rios, poços e cachoeiras, contemplação da paisagem, observação de flora e fauna, acampamento, canionismo e escalada. O parque é Patrimônio Mundial Natural e Reserva da Biosfera do Cerrado, ambos concedidos pela UNESCO, em virtude de sua importância para a conservação da biodiversidade do Cerrado. Além de abrigar excepcionais bens naturais, como rios, cachoeiras, cânions e mirantes, a Chapada dos Veadeiros abriga manifestações culturais diversificadas e com importância histórica, tendo sido uma região de garimpo de ouro e cristal.
O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é o segundo parque a ter os serviços de apoio aos visitantes concedidos após a aprovação da nova Lei n° 13.668/2018, que aprimorou a legislação para a concessão de serviços de apoio ao uso público nas unidades de conservação. O primeiro processo de concessão de serviços foi o do Parque Nacional do Pau Brasil, na Costa do Descobrimento, no Sul da Bahia. A empresa Hope Recursos Humanos S/A foi a vencedora da licitação. Os serviços de gestão, conservação, proteção e pesquisa continuam sob o controle administrativo e territorial do governo, assim como o monitoramento dos serviços concedidos via licitação.
Até o final do ano serão lançados os editais para contratação de serviços de apoio à visitação em outras quatro unidades de conservação. São elas os Parques Nacionais dos Lençóis Maranhenses (MA), de Itatiaia (RJ), de Caparaó (MG) e da Serra da Bodoquena (MS). Todo o processo faz parte do Programa de Concessão de Serviços à Visitação nas Unidades de Conservação Federais, que o ICMBio vem há dois anos modelando com a elaboração de estudos técnicos e realização de consultas públicas.  
As novas concessões deverão impulsionar o turismo, a exemplo de outros quatro parques com serviços já concedidos. Os Parques Nacionais Serra dos Órgãos e Tijuca (RJ), Fernando de Noronha (PE) e Iguaçu (PR), além de serem os mais visitados, contam com alto índice de aprovação quanto a qualidade dos serviços ofertados aos visitantes. O objetivo das concessões é melhorar a qualidade dos serviços prestados aos visitantes das unidades de conservação, já que o ICMBio não tem como finalidade prestar serviços como hospedagem e alimentação aos turistas.
Turismo e Natureza – O ICMBio recebeu, em 2017, mais de 10,7 milhões de visitas nas unidades de conservação, número superior a 2016 que foram recebidas 8,2 milhões. Um estudo realizado pelo Instituto aponta que os visitantes gastaram cerca de R$ 2 bilhões nos municípios de acesso aos parques. A contribuição total desses gastos para a economia nacional foi de cerca de 80 mil empregos, R$ 2,2 bilhões em renda, R$ 3,1 bilhões em valor agregado ao PIB e R$ 8,6 bilhões em vendas. O setor de hospedagem registrou a maior contribuição direta, com R$ 613 milhões em vendas diretas, seguido pelo setor de alimentação com R$ 432 milhões. Esse ano, o estudo apresenta a geração de impostos decorrentes apenas dos efeitos sobre as vendas diretas e a remuneração. Assim, foram gerados, R$ 905 milhões em impostos (municipal, estadual e federal). A análise mostrou que cada real investido no ICMBio produziu R$ 7 em benefícios econômicos para o Brasil.

MIL OSI

Substituição de equipamentos interromperá provisoriamente alguns serviços na internet do MD

Source: Republic of Brazil news

Brasília, 19/10/2018 – A Secretaria de Orçamento e Organização Institucional (Seori), por intermédio do Departamento de Tecnologia da Informação (Depti), informa aos servidores civis e militares do Ministério da Defesa  (MD) e público externo que, a partir das 18h desta sexta-feira (19), haverá interrupção parcial no acesso à internet e interrupção total dos serviços disponibilizados pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). São eles:

1. Interrupção total do:

a. Acesso ao SEI pelo HFA;
b. Acesso ao SEI pelo Censipam;
c. Acesso à Rede Interna do Exército Brasileiro (EBNet);
d. Acesso à Rede Interna da Força Aérea Brasileira (Intraer).

2. Interrupção parcial do:

a. SEI Externo;
b. Expresso;
c. Portais da Defesa, do Pandiá e do Caslode.
d. Acesso ao Sisclaten pela internet;
e. Acesso ao UNA pela internet.

A paralisação ocorrerá em virtude do serviço de substituição de equipamentos da Infovia, providos pelo Serpro. O tempo de indisponibilidade é de, aproximadamente, quatro horas, podendo haver alterações em decorrência das novas configurações que serão implementadas.

Com informações da SEORI/Depti

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

MIL OSI