Miguel Azevedo, Chefe de Investimentos Banc?rios do Citigroup, confirma presen?a na AOG (Angola Oil and Gas) 2021 em Luanda, Angola

MIL OSILUANDA, Angola, 29 de julho 2021/APO Group/ —

Como participante confirmado, Miguel Azevedo irá moldar as discussões sobre o potencial de investimento da indústria energética de Angola, desde a exploração de petróleo e gás à petroquímica e energias renováveis; a importância de priorizar a monetização do gás para acelerar as iniciativas de eletrificação como um ativo crítico para impulsionar o crescimento económico numa era pós-COVID-19.

Miguel Azevedo, Chefe de Investimentos Bancários do Citigroup – Médio Oriente, África e Portugal, confirmou a sua presença na conferência Angola Oil and Gas Conference (AOG) (Angola Oil and Gas) 2021, a decorrer no Centro de Convenções de Talatona (CCTA) de Luanda, de 09 – 10 de setembro. Miguel Azevedo vai conduzir a discussão sobre as potenciais oportunidades de investimento que irão desempenhar um papel crucial no crescimento económico de Angola, principalmente através da diversificação do portfólio de energia.

Desde que assumiu o cargo, S.E. o Presidente João Lourenço lançou o Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022 e a actualizou a Estratégia de Exploração de Hidrocarbonetos 2020-2025 para intensificar, pesquisar e avaliar geologicamente concessões e áreas acessíveis de bacias sedimentares para exploração em Angola. O Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo, chefiado por S.E. o Ministro Diamantino Pedro Azevedo e outras partes interessadas em Angola, incluindo a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) e a Sonangol, estão todos a explorar activamente formas de adaptar as suas operações para reflectir o crescimento numa era pós-COVID-19.

Miguel Azevedo trará para o AOG 2021 a sua experiência em várias conferências do Fórum Económico Mundial (WEF), onde tem promovido activamente a importância dos investimentos em projetos relacionados com a energia em África para acelerar as ambições do continente para a industrialização e crescimento económico. No Ruanda, Miguel Azevedo também conduziu discussões significativas sobre a conexão dos recursos da África através da transformação digital, pedindo maiores investimentos em projetos de gás para geração eléctrica para aumentar a capacidade de geração de energia do continente Africano, permitindo uma oportunidade competitiva contra outros mercados desenvolvidos através da digitalização. Miguel Azevedo acredita firmemente que o crescimento económico depende da estabilidade do sector elétrico e da distribuição eficaz de eletricidade; ele defende constantemente a diversificação dos portfólios de energia, com foco em energias mais limpas.

“Queremos assegurar que temos as mentes mais experientes para fomentar as boas discussões que irão conduzir a negócios e projectos que contribuam positivamente para o crescimento da economia angolana. A experiência do Miguel com investimentos em mercados africanos será essencial para a narrativa da Sonangol e da ANPG para fomentar o investimento internacional em Angola,” – afirma João Gaspar Marques, Diretor da Conferência Internacional da Energy Capital & Power (ECP), a organizadora da conferência AOG 2021.

Miguel Azevedo ingressou no Citigroup em 2010 como Chefe das Finanças e Investimentos do grupo, em Portugal. Em meados de 2012, foi nomeado Chefe de Investimentos Bancários para África (Excepto África do Sul e Egipto). Em novembro de 2017, Miguel foi nomeado Chefe de Investimentos Bancários para o Médio Oriente e África (excepto África do Sul).

A AOG 2021 é o evento de energia mais esperado a ocorrer, não apenas em Angola, mas em África em 2021. A AOG 2021 é exclusiva, transformadora e impulsiona o sector energético, oferecendo uma plataforma para networking, negociações e parcerias de investimento que irão impulsionar o crescimento e  o sucesso do sector de energia de Angola. Organizada pela ECP e sob os auspícios do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo, a AOG 2021 está empenhada em acelerar o progresso energético angolano na sequência da pandemia da COVID-19.

Antigo Presidente Barack Obama Junta-se ? NBA ?frica Como Parceiro Estrat?gico

MIL OSIJOHANNESBURG, África do Sul, 28 de julho 2021/APO Group/ —

A National Basketball Association (NBA, Associação Nacional de Basquetebol) (www.NBA.com) anunciou hoje que o antigo Presidente Barack Obama se juntou à NBA África (https://on.nba.com/3eZjcuX) como parceiro estratégico.

 O Presidente Obama irá ajudar a desenvolver os esforços da responsabilidade social da liga em todo o continente, incluindo programas e parcerias que apoiam uma maior igualdade de género e a inclusão económica.  Nesta capacidade, o Presidente Obama irá ter uma participação acionária minoritária no novo empreendimento. 

A NBA África realiza os negócios da liga em África, incluindo a Basketball Africa League (BAL, Liga Africana de Basquetebol [LAB]) (www.theBAL.com), a qual realizou a sua temporada inaugural em maio com 12 das principais equipas de 12 países africanos. A NBA África está focada em expandir a presença da NBA em mercados africanos prioritários, aprofundando o envolvimento da liga com jogadores e fãs em todo o continente e em continuar o crescimento do ecossistema do basquetebol africano através de programas como o Jr. NBA, Basketball Without Borders (BWB) Africa e NBA Academy Africa. Adicionalmente, a NBA África lançou diversas iniciativas (https://on.nba.com/2UMLuCp) de responsabilidade social como objetivo de melhorar  a subsistência de jovens e de famílias africanas.

“A NBA foi sempre uma ótima embaixadora dos Estados Unidos – usando o jogo para criar ligações mais profundas em todo o mundo e, em África, o basquetebol tem o poder de promover oportunidade, bem-estar, igualdade e empoderamento em todo o continente,” disse o Presidente Barack Obama.  “Ao investir em comunidades, promover a igualdade de género e cultivar o amor pelo basquetebol, acredito que a NBA África pode fazer a diferença nas vidas de muitos jovens africanos.  Fiquei impressionado com o compromisso da liga para com África, incluindo a liderança demonstrada por muitos jogadores africanos que querem dar de volta aos seus próprios países e comunidades.  É por isso que estou orgulhoso em me juntar à equipa da NBA África e anseio por uma parceria que beneficia a juventude de tantos países.”

“Sentimo-nos honrados com o facto de o Presidente Obama se ter tornado um parceiro estratégico da NBA África e vamos apoiar os nossos esforços abrangentes para que o basquetebol cresça no continente,” disse o Comissário da NBA Adam Silver.  “Em adição ao seu bem documentado amor pelo basquetebol, o Presidente Obama acredita firmemente no potencial de África e nas enormes oportunidades de crescimento que existem através do desporto.  A NBA África irá beneficiar enormemente com o seu envolvimento.”

“Temos planos de crescimento ambiciosos para a NBA África e o facto de o Presidente Obama se unir aos nossos esforços é um reconhecimento de que, através do desporto, África pode ocupar o seu devido lugar no palco mundial,” disse o CEO da NBA África Victor Williams.  “Ansiamos por trabalhar com o Presidente Obama e com os nossos investidores estratégicos para usar o basquetebol como um motor de crescimento económico em todo o continente e como uma plataforma para melhorar a saúde e o bem-estar de uma das populações mais jovens e em rápido crescimento do mundo.”

Os investidores estratégicos na NBA África incluem um consórcio liderado por Babatunde “Tunde” Folawiyo, Presidente e CEO do Yinka Folawiyo Group e pela Helios Fairfax Partners Corporation (HFP), liderada pelo coCEO Tope Lawani.  Os investidores adicionais da NBA África incluem as lendas da NBA Junior Bridgeman, Luol Deng (Sudão do Sul), Grant Hill, Ian Mahinmi (França; laços com o Benim), Dikembe Mutombo (República Democrática do Congo) e Joakim Noah (laços com os Camarões).

A NBA tem uma história de longas décadas em África e abriu, em 2010, a sua sede africana em Joanesburgo.  Desde então que os esforços da liga no continente se focaram em aumentar o acesso ao basquetebol e à NBA através da responsabilidade social, do desenvolvimento local e de elite, distribuição de meios, parcerias corporativas, Jogos NBA de África, o lançamento da LAB e mais.

A temporada inaugural da LAB foi transmitida aos fãs em 215 países e territórios em 15 idiomas.  No domingo, 30 de maio, o Zamalek (Egito) derrotou o US Monastir (Tunísia) com 76-63 pontos para ganhar o primeiro campeonato LAB.  Os fãs podem seguir em @NBA_Africa e @theBAL no Facebook, Instagram, Twitter e no Youtube.

Veja este vídeo (https://on.nba.com/3yd99Kv) do Presidente Barack Obama na NBA.com.

CGU promove live de capacitação sobre o uso do Portal de Dados Abertos

Source: Republic of Brazil 2

Evento, no dia 20 de agosto, abordará aspectos acerca do funcionamento e potencial do Portal. Servidores e interessados na temática podem se inscrever por meio de formulário eletrônico
A Controladoria-geral da União (CGU), por meio da Secretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção (STPC), realiza, no próximo dia 20 de agosto, a live “Portal Brasileiro de Dados Abertos – Conhecer, Usar e Catalogar”. O evento ocorrerá das 15h às 16h30 via Plataforma Teams e as inscrições podem ser realizadas por meio de formulário eletrônico até a véspera do evento.
A live abordará aspectos fundamentais sobre o funcionamento e a importância do Portal de Dados Abertos (www.dados.gov.br).  O objetivo é apresentar os aspectos essenciais, como, por exemplo, a necessidade de inserir metadados e de manter as bases de dados atualizadas; explicar os critérios adequados de catalogação; bem como permitir a troca de experiências entre órgãos publicadores de dados e profissionais ou cidadãos consumidores.
A capacitação é destinada, prioritariamenten, aos servidores que utilizam o Portal para catalogação das bases de dados dos órgãos públicos. As inscrições, porém, estão abertas para quaisquer interessados na temática, em especial, cientistas e jornalistas que utilizam os dados governamentais catalogados na plataforma. O Portal  Brasileiro de Dados Abertos é uma plataforma que objetiva centralizar a oferta de dados públicos em formato aberto.
INDA
A iniciativa faz parte do Programa Continuado de Orientação e Capacitação em Dados Abertos e Reúso de Dados, previsto pela CGU no plano de ação da Infraestrutura Nacional de Dados Abertos (INDA) para o biênio 2021-2022. Por meio do programa, serão realizados outros três eventos em linhas temáticas de capacitação até o final do próximo ano, com a colaboração dos diversos atores do ecossistema de dados abertos.
O plano de ação da INDA prevê, ao todo, a realização de dez iniciativas voltadas ao fortalecimento da Política de Dados Abertos e dos instrumentos de atuação na área. As ações contemplam o aprimoramento do framework de dados (guias, padrões e orientações), a revisão geral das bases publicadas no Portal Brasileiro de Dados Abertos, além da completa reformulação do portal, dentre outras.
Saiba mais sobre o plano de ação em: https://wiki.dados.gov.br/Plano-de-Acao-da-INDA-2021-2022.ashx

MIL OSI

Forma??o Intensiva, em “Epidemiologia de Campo”

MIL OSIPRAIA, Cabo Verde, 22 de julho 2021/APO Group/ —

O Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP) em parceria com a OMS e demais parceiros, proporcionaram uma formação intensiva, sobre a “Epidemiologia de Campo”, formação esta facultada pelos membros técnicos da Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi). Uma formação que surgiu como resultado da avaliação externa conjunta de Cabo Verde com a assistência da OMS em 2019, onde um dos pontos mais destacados apontava para a grande necessidade de desenvolvimento de um programa de epidemiologia de campo, pelo que o INSP, aproveita a oportunidade junto dos parceiros para proporcionar treinamentos aos profissionais de Cabo Verde, e assim colmatar essa necessidade de epidemiologista de campo no país.

A formação que decorreu na Cidade Velha, contou com a participação da Presidente do INSP, Maria da Luz Lima, da Presidente da ProEpi, Sara Ferraz e dos demais técnicos e tutores da ProEpi e os15 formandos, dos setores da saúde humana, animal e ambiental.

No entender da Presidente do INSP, Maria da Luz Lima, a formação decorreu muito bem, mesmo sendo a primeira a realizar-se no país, reforça também que há muita “sede” de ter epidemiologista de linha da frente no país. Para Maria da Luz Lima, um aspeto relevante desta formação “é que não foi pensado só no vertente saúde, mas sim, foi pensado na abordagem “uma só saúde”, incluído técnicos da saúde animal e ambiental”, o que se justifica, tendo em conta que muitas epidemias resultam de doenças transmitidas dos animais ao Homem

Para Sara Ferraz, Presidente da ProEpi, essa formação traz grande impacto a Cabo Verde, e destaca a melhoria na qualidade dos dados como um deles, o que implicará diretamente na análise da situação da saúde da população.

Jonas Brant, Professor da Universidade de Brasília e membros da ProEpi, afirma que os profissionais em uma semana demostram o potencial que Cabo Verde tem de melhorar a sua capacidade para a resposta a eventos importantes da Saúde Pública.

Porém, o mesmo afirma que o grande desafio é que investigar surto exige métodos e essa formação vem trazer metodologias para que os profissionais possam utilizá-las e ao mesmo tempo mostrar que Cabo Verde tem capacidade de responder as emergências e falar a linguagem internacional de investigação de surtos.

Sarah Mendes, Enfermeira Epidemiologista e membro da ProEpi, garantiu na altura de que estavam a ter uma semana muito intensa, como é a proposta mesmo do treinamento. Por outro lado, afirma que o seu compromisso com Cabo Verde, à volta de todo processo já que vai passar seis meses a monitorar o desenvolver do projeto, é de conseguir além do treinamento, melhorar a capacidade de análise, deteção e de resposta, não só para o treinando mas envolvendo outras instituições como o INSP, OMS e os parceiros.

De frisar que o objetivo central dessa formação é treinar os profissionais para diariamente lançar dados e dados com qualidade e ter uma resposta rápida para poder intervir.

Nesta premissa, a formanda, Eurídice Alfama, responsável do Centro de Saúde de Fazenda, assegurou que a formação de Epidemiologia de Campo “representa uma oportunidade de ampliar a sua visão e ter mais resposta em relação aos estudos pandêmicos, que vai além da parte assistencial”. Reforça ainda que trata-se de uma formação “oportuna” e que dá mais valência aos profissionais de saúde de Cabo Verde nos “manejos da informação”.

Segundo Maria da Luz Lima, a melhoria não será só a nível da saúde, mas nos técnicos que cada vez mais estarão melhor preparados para dar resposta e a nível económico, pois com a rede de epidemiologista em todas as ilhas os turistas regressam a Cabo Verde com algum conforto, pois sabem que qualquer anomalia será detetada rapidamente e tratada.

S?o Tom? e Pr?ncipe avalia as suas necessidades de implementa??o efectiva da Conven??o-Quadro da OMS para a Luta Anti-tabaco (CQLA)

MIL OSISAO TOME, São Tomé e Príncipe, 21 de julho 2021/APO Group/ —

Vários actores estatais e não estatais estão reunidos virtualmente e em presencial esta semana numa missão de avaliação das necessidades para a implementação da Convenção-Quadro da OMS para a Luta Anti-tabaco (FCTC) em São Tomé e Príncipe.

Esta avaliação das necessidades está a ser realizada conjuntamente pelo Governo de São Tomé e Príncipe, o Secretariado da Convenção, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para avaliar a implementação do Tratado, que São Tomé e Príncipe ratificou em 2006.

O exercício de avaliação das necessidades ajudará a identificar lacunas na implementação da CQCT e a fazer recomendações para acelerar a implementação deste tratado internacional, assegurando assim a protecção universal contra os danos causados pelo tabaco em São Tomé e Príncipe. Como parte da avaliação das necessidades, terá lugar de 20 a 22 de Julho de 2021 uma série de reuniões bilaterais com as partes interessadas que representam várias estruturas governamentais e não-governamentais.

Falando na cerimónia de abertura, o Ministro da Saúde, Dr. Edgar Manuel Azevedo das Neves, reafirmou a determinação do governo em combater a ameaça do tabaco e em melhorar a vida dos seus cidadãos. “É essencial acelerar a implementação da CQCT, a fim de abordar as doenças não transmissíveis.

No seu discurso, Andrew Black, Chefe Interino do Secretariado da Convenção, encorajou São Tomé e Príncipe “a continuar os seus esforços para tornar o tabaco menos acessível, continuando a aumentar os impostos sobre os produtos do tabaco de modo a que o consumo diminua, particularmente entre os jovens e as populações vulneráveis.

 “Enquanto o mundo luta para recuperar desta pandemia devastadora, nunca houve melhor altura para apoiar as pessoas que tentam deixar de fumar – e para colocar os impostos e as políticas de preços do tabaco como parte da resposta nacional à COVID-19”. Ele acrescentou

Katarzyna Wawiernia, Representante Residente do PNUD recordou que “é essencial para São Tomé e Príncipe considerar acelerar a implementação da CQCT para contribuir para a realização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável em conformidade com a meta 3 dos ODS”.

O Dr Anderson LATT, Representante Interino da OMS em São Tomé e Príncipe, garantiu aos participantes que a OMS continuará a apoiar o governo de São Tomé e Príncipe a acelerar a implementação da CQCT para combater as doenças não transmissíveis, alcançar a cobertura universal da saúde e alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

Este exercício de avaliação das necessidades está a ter lugar com o apoio financeiro do Governo da República da Coreia do Sul e o apoio técnico do Secretariado da CQCT.

Parcerias Refor?adas: O Patroc?nio Diamante da Sonangol reafirma a Angola Oil and Gas 2021 como a Primeira Confer?ncia Nacional de Petr?leo e G?s

MIL OSILUANDA, Angola, 21 de julho 2021/APO Group/ —

A Sonangol foi oficialmente confirmada como o patrocinador principal da próxima conferência Angola Oil and Gas (AOG) 2021, a decorrer em Luanda de 9 a 10 de setembro de 2021; Como Patrocinador Diamante, a Sonangol é o patrocinador oficial do jantar de gala AOG 2021, um evento de networking exclusivo para convidados que reúne executivos do setor privado, líderes de petróleo e gás e representantes do governo; A petrolífera nacional representa a mais recente confirmação VIP da AOG 2021, tendo vários líderes da indústria já se comprometido com o evento energético mais exclusivo do calendário angolano; Com Angola a procurar diversificar o seu portfólio de energia e atrair mais investimentos em toda a cadeia de valor da energia, o patrocínio e a participação da Sonangol estão definidos para melhorar as parcerias no domínio da energia e conduzir negócios críticos em todo o sector angolano.

A Energy Capital & Power (ECP) tem o orgulho de anunciar que a companhia petrolífera nacional de Angola, Sonangol, foi confirmada como o patrocinador oficial diamante da principal conferência de energia do país, a Angola Oil and Gas (AOG) 2021. A decorrer no Centro de Convenções de Talatona (CCTA) em Luanda nos dias 9 e 10 de setembro de 2021, a segunda edição do AOG 2021 reúne líderes da indústria de petróleo e gás, líderes internacionais e governos regionais numa plataforma abrangente. A Sonangol será o principal patrocinador do evento AOG 2021 como patrocinador diamante exclusivo, com a empresa a organizar um jantar de gala de elite apenas para convidados como um ponto alto da conferência de dois dias.

Representando a terceira maior empresa de África e uma das principais empresas petrolíferas nacionais do continente, a Sonangol deverá conduzir uma narrativa centrada em Angola, reiterando o valor de projetos novos e em desenvolvimento, apresentando as oportunidades abundantes presentes em toda a cadeia de valor e promovendo Angola como principal destino de investimento internacional. Responsável pela gestão, operação e comercialização da exploração, produção, fabrico, transporte e comercialização de petróleo e gás angolano, a Sonangol está focada no desenvolvimento sustentável e harmonioso do sector energético do país, impulsionando o crescimento económico e a industrialização em todo o país.

Como participante chave na AOG 2021, a Sonangol apresentará uma atualização sobre o programa de regeneração da empresa – que visa reestruturar a empresa numa tentativa de aumentar a rentabilidade e a transparência, e posicionar a Sonangol como uma grande empresa petrolífera competitiva a nível internacional. Focando nas principais atividades de petróleo e gás da empresa, a Sonangol apresentará aos participantes uma visão geral das operações atuais, o potencial das suas oportunidades de investimento e os seus objetivos de médio e longo prazo. Para além disso, a participação da Sonangol deverá promover a discussão sobre as várias oportunidades upstream disponíveis em Angola. Tendo a empresa revelado um plano ambicioso para acelerar a venda de oito blocos offshore em junho de 2021, a Sonangol está ativamente à procura de parceiros para promover o setor de petróleo e gás de Angola, impulsionando novas atividades de exploração e produção numa tentativa de estimular o crescimento socioeconómico e a independência energética.

Entretanto, com os Objetivos Estratégicos da empresa definidos para 2018-2022, a Sonangol está a redirecionar o seu foco para o reforço da presença da empresa na cadeia de valor do petróleo, melhorando o capital humano em todo o setor e aumentando a sua capacidade técnica. A empresa petrolífera nacional tem como missão primordial contribuir para a sustentabilidade e crescimento da indústria petrolífera nacional, de forma a garantir um maior retorno ao Estado Angolano, apoiando a participação de empresas e quadros nacionais nas actividades do sector promovendo o desenvolvimento socioeconómico de Angola.” Assim, apoiada pela principal conferência de energia de Angola, a AOG 2021, a Sonangol está empenhada em garantir que os recursos naturais produzam benefícios tangíveis para Angola.

O patrocínio diamante da Sonangol enfatiza o objetivo da empresa de construir relacionamentos mais fortes entre os operadores regionais e internacionais da indústria de petróleo e gás, investidores estrangeiros e o governo local. A AOG 2021 representa a plataforma mais eficaz para empresas como a Sonangol para estabelecer parcerias sustentáveis e de longo prazo com os principais actores do sector.

Queremos garantir que investimentos atuais e futuros estejam adequadamente expostos a oportunidades de negócios favoráveis. A Angola Oil and Gas Conference 2021 é uma plataforma ideal para juntar investidores com os líderes do sector e para estimular o investimento directo estrangeiro na indústria do petróleo e do gás,” afirma João Gaspar Marques, Director da Conferência Internacional da Energy Capital & Power (ECP), que organiza a Conferência.

Sob o tema; A Indústria de Petróleo e Gás de Angola: O Caminho para a Regeneração e Crescimento, a conferência abordará as atuais reformas do governo na indústria, os pacotes de incentivos fiscais do país, e o recente anúncio da primeira etapa de licenciamento para blocos onshore nas bacias do Baixo Congo e do Kwanza – que atraiu várias licitações de operadoras de petróleo e gás.

O compromisso e apoio da Sonangol à AOG 2021 reitera o valor do evento, posicionando ainda mais a conferência como um dos eventos de energia mais esperados a ter lugar, não apenas em Angola, mas em África em 2021. A AOG 2021 é exclusiva, transformadora e avança o setor, fornecendo uma plataforma para networking, negociação e parcerias de investimento que irão impulsionar o crescimento e sucesso do setor de energia de Angola. Organizada pela ECP e com o apoio do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo, a AOG 2021 está empenhado em acelerar o progresso energético angolano na sequência da pandemia COVID-19.

A OMS, com o apoio t?cnico do INEM, capacitou 40 profissionais de sa?de em Suporte B?sico de Vida e Desfibrilha??o Autom?tica Externa (SBV-DAE)

MIL OSIBISSAU, Guiné-Bissau, 13 de julho 2021/APO Group/ —

A Organização Mundial de Saúde (OMS), em conjunto com o Alto-Comissariado para o COVID-19, estabeleceu uma parceria com o Instituto Nacional de Emergência Médica de Portugal (INEM), que enviou uma equipa de emergência médica (PT EMET) para dar formação em Suporte Básico de Vida e Desfibrilhação Automática Externa (SBV-DAE).

A equipa, composta por cinco especialistas do INEM, designadamente um médico, um enfermeiro e três técnicos de emergência pré-hospitalar, chegou a Guiné-Bissau no dia 3 de Julho. Até dia 8 de Julho a equipa formou 40 profissionais de saúde de várias regiões sanitárias do país em SBV-DAE.

Durante a formação, os profissionais de saúde aprenderam como actuar perante uma vítima em paragem cardiorrespiratória (PCR). Estima-se que, após o colapso da vítima, uma rápida intervenção (3 a 5 minutos) através da desfibrilhação precoce, resulta em taxas de sobrevivência de 50 a 70%. Para tal, a equipa do INEM sublinhou a importância dos vários elementos da Cadeia de Sobrevivência: Ligar para o número de urgência (112), Reanimar, Desfibrilhar e Estabilizar.

Através de vários exercicíos prácticos com manequins, os profissionais de saúde assimilaram diversas prácticas de salvamento, nomeadamente : compressões torácicas, insuflações ou ainda a posição lateral de segurança. Tiveram também sessões teóricas em suporte básico de vida pediátrico e adulto. Por último, puderam apreender o funcionamento do Desfibrilhador Automático Externo (DAE), e em que contextos deve ser utilizado. De realçar que as 15 ambulâncias entregues pela OMS ao Governo da Guiné-Bissau via o Alto-Comissariado para o COVID-19 estão equipadas com DAE e que este aparelho, se usado correctamente, vai salvar vidas.

Na entrega dos diplomas aos 20 primeiros formados em SBV-DAE, a Dra. Mie Okamura, Assessora de Planeamento de Saúde na OMS, afirmou que “agora, com o conhecimento específico na utilização do desfribrilhador, assim como das diversas prácticas de salvamento, vocês vão poder fazer a diferença na vida das pessoas que irão evacuar, tanto no serviço pre-hospitalar como inter-hospitalar”. A Dra. Mie deu ainda os parabéns aos técnicos de saúde, sinalizando que com o conhecimento adquirido vão poder reforçar o sistema nacional de saúde.

Por último, realçou o apoio prestado pela OMS ao país na criação da Rede Integrada de Ambulâncias, nomeadamente na acquisição das ambulâncias equipadas com material de alta qualidade para salvar vidas, assim como formação em Cuidados Básicos de Emergência. Com a formação em SBV-DAE, os 40 profissionais de saúde estão agora igualmente capacitados para uma mais plena operacionalização do Sistema de Emergência.

BNDES lança o Prêmio Dados Abertos para o Desenvolvimento

Source: Republic of Brazil news

O Prêmio Dados Abertos para o Desenvolvimento é uma iniciativa do BNDES para incentivar a colaboração entre governo e sociedade e para estimular o desenvolvimento de estudos, análises e soluções de empreendedorismo tecnológico que contribuam para aprimorar e modernizar a gestão pública.

Serão premiados os três melhores trabalhos que utilizarem os dados do BNDES disponibilizados em formato aberto.

Cronograma

Inscrições: de 29 de junho a 1º de agosto de 2021. Faça sua inscrição.

Início das atividades on-line: 4 de agosto.

Divulgação dos vencedores: 20 de setembro.

Veja as regras

O Prêmio Dados Abertos para o Desenvolvimento tem como objetivos:

  • incentivar a colaboração entre governo e sociedade;
  • promover o engajamento de agentes públicos, cientistas e jornalistas de dados, programadores e desenvolvedores de TI e empreendedores; e
  • desenvolver estudos, análises e soluções de empreendedorismo tecnológico para problemas complexos e desafios que contribuam para o aprimoramento e a modernização da gestão pública.

Podem se inscrever: participantes individuais ou em equipes formadas por até cinco integrantes. O BNDES poderá oferecer aos participantes, por meio da plataforma designada ou outros canais disponíveis, atividades abertas de apoio ao desenvolvimento dos trabalhos, como palestras, mentorias, webinários, oficinas e similares.

Os trabalhos serão avaliados conforme os seguintes critérios de avaliação: Impacto (45%); Usabilidade (25%); Criatividade e originalidade (20%); e Qualidade Técnica (10%).

Os três melhores trabalhos que utilizarem os dados do BNDES disponibilizados em formato aberto serão premiados da seguinte forma:

  • 1º (primeiro) colocado – R$ 15 mil reais.
  • 2º (segundo) colocado – R$ 10 mil reais.
  • 3º (terceiro) colocado – R$ 5 mil reais.

Acesse aqui o formulário de inscrições.

Edital

Sobre os Dados Abertos

O BNDES aderiu de forma voluntária à Política Nacional de Dados Abertos, do Governo Federal como parte do nosso compromisso com os avanços em transparência.

Com essa iniciativa, pretendemos trazer ganhos à administração pública, com ampliação da participação e controle social e contribuições para a gestão decorrentes da análise dos dados abertos; além de ganhos para a sociedade, por meio da melhoria da gestão pública e do serviço público como um todo.

Saiba mais sobre o Plano de Dados Abertos do BNDES.

Acesso o Portal de Dados Abertos do BNDES

Fonte: https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparencia/iniciativas/premio-dados-abertos

MIL OSI

Energy Capital & Power Lan?a Campanha Para Promover O Setor Petrol?fero De Angola: Diversas Iniciativas P?em O Foco Na Atra??o De Investimento

MIL OSILUANDA, Angola, 7 de julho 2021/APO Group/ —

Um relatório de investimento aprofundado e um documentário de alto nível irão apresentar aos investidores as oportunidades presentes no sector do petróleo e gás angolano; A AOG 2021 segue-se ao grande sucesso da conferência de 2019 e irá reunir a elite da indústria petrolífera angolana para promover debates, networking e negociação; A campanha nacional será desenvolvida em paralelo com uma série de aparições internacionais de delegações angolanas para mostrar as oportunidades energéticas do país a investidores estrangeiros.

A plataforma de investimento pan-africana para o sector da energia, Energy Capital & Power (ECP), lançou uma vasta campanha para promover o sector do petróleo e gás de Angola tanto a nível interno como externo, com base no enorme sucesso da sua parceria exclusiva com o Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás.

A campanha é sustentada por três pilares domésticos e uma tour internacional que certamente colocarão o segundo produtor de petróleo e gás da África Subsaariana no centro do interesse dos investidores.

Em Angola, a ECP está já a trabalhar num Relatório de Investimento que se vai debruçar sobre os temas mais relevantes do sector do petróleo e gás angolano, entrevistando líderes de mercado do sector público e privado. Programado para ser lançado no segundo trimestre de 2022 sob o nome de Africa Energy Series Angola 2022, este relatório servirá para guiar os investidores sobre assuntos como a resiliência do mercado no pós-COVID-19, o desenvolvimento de campos marginais, estratégias de monetização de gás, a expansão de downstream, técnicas de produção avançadas bem como o conteúdo local e a capacitação doméstica.

Paralelamente a este relatório, a ECP está, em parceria com a CNBC Africa, a produzir um documentário de alto nível que irá analisar em profundidade o lugar que o petróleo e o gás ocupam na economia angolana hoje, e como está a ser usado para promover a diversificação e um crescimento futuro sustentável. Com estreia prevista para meados de 2022, este documentário exclusivo e único será transmitido em canais de televisão angolanos, na rede CNBC Africa e em plataformas internacionais de streaming.

A unir estas iniciativas está a Conferência Angola Oil & Gas (AOG) que terá lugar de 9 a 10 de setembro de 2021 no Centro de Convenções de Talatona (CCTA), em Luanda. O evento mais importante do calendário energético angolano, assenta na enormemente bem-sucedida AOG 2019 (https://bit.ly/3AAeMUK), que foi inaugurada por S. E. o Presidente João Lourenço, e recebeu cerca de 2.000 delegados de mais de 30 países diferentes.

“A própria dimensão da campanha que estamos a implementar em Angola torna-a nada menos que histórica. A nossa estreita parceria com o MIREMPET está a permitir-nos levar as oportunidades de petróleo e gás de Angola às mãos de investidores em todo o mundo”, afirma João Marques, Director Internacional de Conferências da ECP. “Nunca se realizou uma campanha tão abrangente e vasta neste mercado e estamos entusiasmados por ver o quanto podemos fazer pelo futuro da indústria de petróleo e gás de Angola”, acrescentou.

Este ano, devido às restrições da COVID-19, a AOG será um evento exclusivo para convidados que reunirá a elite da liderança de energia de Angola para dois dias de discussões, networking e negociações.

Sob o tema, ‘Indústria de Petróleo e Gás de Angola: O Roteiro para a Regeneração e Crescimento’, a AOG 2021 apresentará oportunidades de negócios a investidores estrangeiros em Angola, promoverá maior investimento em projetos selectos e fará avançar uma agenda de investimento sustentável e de longo prazo na indústria de petróleo e gás de Angola e noutros sectores-chave, com vista à diversificação da economia.

O evento presencial mais aguardado de 2021 irá seguir as mais rígidas medidas de proteção de saúde e permitirá que altos funcionários e CEOs das maiores empresas de Angola interajam com líderes governamentais, reguladores e empresas estatais numa era de recuperação pós-COVID-19 .

Embora o evento presencial seja apenas para convidados, as sessões serão transmitidas em directo no site da ECP e os participantes podem inscrever-se numa plataforma de networking digital que lhes permitirá ainda aproveitar a oportunidade de se conectarem com profissionais da indústria e promover relacionamentos.

Na frente internacional, a ECP está a trabalhar com o MIREMPET, a ANPG e a Sonangol para levar delegações angolanas de alto nível a grandes palcos internacionais, incluindo o Fórum de Energia EUA-África (USAEF) da ECP, que decorre de 4 a 5 de Outubro em Houston, EUA, e a African Energy Week (AEW), que acontece de 9 a 12 de novembro de 2021 na Cidade do Cabo, África do Sul, organizada pela Câmara Africana de Energia e produzida pela ECP, onde poderão relacionar-se diretamente com investidores estrangeiros de uma forma que nunca foi possível até agora.

S.E. Diamantino Pedro Azevedo, Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, já confirmou a sua presença na AEW e a ECP está a organizar uma Cimeira EUA-Angola à margem do USAEF para dar oportunidade aos líderes angolanos de apresentarem as vastas oportunidades de petróleo e gás do país a investidores americanos.

UNIRIO abre consulta pública para priorizar a abertura de dados da Universidade

Source: Republic of Brazil 2

Data de publicação
06/07/2021 13:25

A Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) está elaborando seu novo Plano de Dados Abertos (PDA), de acordo com o Decreto nº 8.777, de 11 de maio de 2016, que instituiu a Política de Dados Abertos do Poder Executivo Federal, e com a Resolução nº 3, de 13 de outubro de 2017, do Comitê Gestor da Infraestrutura Nacional de Dados Abertos (CGINDA).
Nesse sentido, convidam a sociedade a participar da construção do referido Plano, por meio de consulta pública, indicando as bases de dados produzidas na Universidade que são objeto de interesse público e relevância para o cidadão, a serem priorizadas para futura abertura no período de vigência do próximo PDA.
A consulta pública está disponível na Plataforma Participa Mais Brasil (https://www.gov.br/participamaisbrasil/plano-de-dados-abertos-unirio-priorizacao-de-abertura-de-bases-de-dados-), de 05/07 a 23/07/2021. Para participar, os interessados deverão fazer o cadastro no site https://www.gov.br/participamaisbrasil/pagina-inicial.
Fonte: Portal da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

MIL OSI