Loading…
You are here:  Home  >  MIL OSI  >  Brazil  >  Current Article

Fórum mobiliza mais de 100 mil pessoas

Published By   /   March 24, 2018  /   Comments Off on Fórum mobiliza mais de 100 mil pessoas

Source: Republic of Brazil 2

No encerramento, grupos apresentam relatórios e jovens leem a Carta da Sustentabilidade. MMA teve intensa participação durante o evento.Brasília (23/03/2018) – O 8º Fórum Mundial da Água, organizado entre outros pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), chegou ao fim nesta sexta-feira em clima de descontração. Após a troca de bandeiras entre representantes brasileiros e do Senegal, país escolhido para sediar a próxima edição do evento, as pessoas se confraternizaram ao som de músicas senegalesas.

Moças e rapazes do grupo de jovens do Conselho Mundial da Água leram a “Carta da Sustentabilidade”, que dialoga com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) e considera a gestão transversal da água como essencial para o equilíbrio local e universal.

Além da Carta da Sustentabilidade, outros documentos foram divulgados no decorrer do fórum, como a Declaração dos Parlamentares, a Declaração Ministerial, a Declaração das Autoridades Locais e a Carta de Brasília, produzida pelos participantes da reunião de juízes e promotores. A Unesco, órgão da ONU para educação, ciência e cultura, apresentou o relatório mundial de desenvolvimento da água.

“O fórum permitiu a troca de experiência entre mais de cem países. Além da Carta da Sustentabilidade, um ponto importante foi o relatório da Unesco que enfocou soluções baseadas na natureza. O relatório vai nortear as ações da Secretaria de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do MMA, em especial do Departamento de Revitalização de Bacias Hidrográficas e Acesso à Água”, disse Renato Saraiva Ferreira, diretor de Revitalização de Bacias do ministério.

Renato Saraiva destacou, também, a Carta de Brasília, subscrita por juízes e promotores, que reafirma o princípio “in dubio pro água”, ou seja, no caso de incerteza optar por medidas que melhor protejam a água. O diretor fez questão de ressaltar ainda a participação dos vários setores do MMA nos painéis de alto nível, sessões especiais, conferências, mesas-redondas e demais atividades do fórum.  

De acordo com os organizadores, a edição brasileira do Fórum Mundial da Água, a primeira no Hemisfério Sul, reuniu público recorde de 97.181 pessoas até a noite de ontem (quinta, 22). A expectativa é chegar a mais de 100 mil até o final de hoje (sexta, 23). À tarde, ainda havia muitos visitantes na Expo, na Feira e na Vila Cidadã, montadas numa arena coberta de 10 mil m² ao lado do Estádio Nacional Mané Garrincha.

SESSÃO FINAL

A sessão oficial de encerramento ocorreu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, mesmo local que concentrou durante toda a semana painéis de alto nível, conferências ministeriais e reuniões multilaterais – debates que contaram com a participação de 12 chefes de Estado, 134 parlamentares e 70 ministros de mais de cem países e foram acompanhados por 10,5 mil pagantes do evento, sendo 7 mil brasileiros e 3,5 mil estrangeiros.

A mesa foi composta pelo presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, e a diretora-presidente da Agência Nacional da Água (ANA), Christiane Dias, que, junto com o Ministério do Meio Ambiente, foi uma das patrocinadoras do evento.

Inicialmente, foram apresentados os relatórios das sessões especiais e dos processos político, temático, regional e da sustentabilidade, que discutiram assuntos diversos como Desenvolvimento, Populações, Ecossistemas, Financiamento e Ambientes urbanos.

No discurso de agradecimento, a brasileira Tatiana Silva, representante da juventude do Conselho Mundial da Água, definiu o fórum como um ambiente de esperança em um futuro com água e saneamento de qualidade para todos. Temos que investir em um ambiente mais representativo e diverso, para que assim consigamos atingir ainda mais pessoas com o tema”, sugeriu para a próxima edição.

O presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, também agradeceu o empenho de todos, fundamentalmente dos  voluntários, e destacou o envolvimento político e a participação cidadã no evento. “Atingimos plenamente nosso objetivo, de forma inclusiva e com resultados positivos que vão reverberar no futuro”, declarou.

O fórum ocorre a cada três anos e já passou por Daegu, na Coreia do Sul (2015); Marselha, na França (2012); Istambul, na Turquia (2009); Cidade do México, no México (2006); Kyoto, no Japão (2003); Haia, na Holanda (2000); e Marrakesh, no Marrocos (1997). A 9ª edição, em 2021, será em Dacar, no Senegal, e terá como tema Segurança Hídrica para Paz e Desenvolvimento.

LEIA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO MMA NO FORUM:

Brasil, Bolívia e Paraguai juntos pelo Pantanal

Parcerias fortalecem Plantadores de Rios

Países lusófonos debatem acesso à água

Declaração propõe ação urgente sobre a água

Brasil defende proteção dos recursos naturais

Ações para salvar o pato-mergulhão

Brasil lidera proteção de áreas úmidas

País passa a proteger 25% dos oceanos

Ministério lança aplicativo do Água Doce

Acordo preserva nascentes do Cerrado

Homenagem a defensores do Velho Chico

Fórum discute adaptação aos efeitos da mudança do clima

Brasil se destaca em políticas ambientais

Da Copa Verde ao Fórum Mundial da Água

O desafio de unir as águas da terra e do mar

Começa o 8º Fórum Mundial da Água

Por: Assessoria de Comunicação Social

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)(61) 2028-1227/ 1311/ 1437imprensa@mma.gov.br

MIL OSI

    Print       Email