Loading…
You are here:  Home  >  Latin America - MIL OSI in Portuguese  >  Current Article

Maranhenses obtêm acesso ao emprego por meio de qualificação profissional

Published By   /   July 4, 2015  /   Comments Off on Maranhenses obtêm acesso ao emprego por meio de qualificação profissional

MIL OSI

Headline: Maranhenses obtêm acesso ao emprego por meio de qualificação profissional

Cerimônia de entrega dos certificados de qualificação para 500 alunos de baixa renda, em São Luís, terá presença da ministra Tereza Campello


por Portal Brasil


publicado:
03/07/2015 11h30


última modificação:
03/07/2015 12h52

Confiante, Ana Lúcia Viegas, 38 anos, teve sua carteira de trabalho assinada pela primeira vez. Ela foi contratada por uma empresa de forros e divisórias da capital maranhense para trabalhar como agente de limpeza.

Beneficiária do Bolsa Família, ela foi uma das 500 pessoas de baixa renda que receberam o certificado de conclusão em cursos de qualificação profissional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Desempregada desde 2013, Ana Lúcia sustentava os dois filhos com os “bicos” do marido e com a complementação de renda do benefício. “O curso foi muito importante porque trouxe uma qualificação que eu não tinha antes. Abriu as portas do mercado.”

Daniela Rocha Souza, representante da empresa que contratou Ana Lúcia, destacou que a confiança na qualidade do curso foi o diferencial na contratação da agente de limpeza. “Acreditamos nela, mesmo sem a prática ainda, porque ela se qualificou. Demos uma oportunidade e o resultado está dando certo.”

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) conta com a participação de mais de 14,8 mil alunos de baixa renda em São Luís, desde seu início, em 2012. Na quinta-feira (2), foi feita a entrega dos certificados de qualificação para 500 alunos.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, participou do evento. Os cursos mais procurados foram de operador de computador, auxiliar administrativo, eletricista instalador predial de baixa tensão, costureiro e almoxarife de obras. Em todo o estado, foram efetuadas 75 mil matrículas em 144 cidades.

Os cursos de qualificação profissional do Pronatec são oferecidos gratuitamente. Quem participa ainda recebe alimentação, transporte e material escolar. As capacitações são realizadas em instituições de ensino técnico e tecnológico, como as unidades do sistema nacional de aprendizagem (Senac, Senai, Senar e Senat) e as redes federal e estadual de educação profissional e tecnológica.

“Eu consegui a minha carteira assinada, o meu salário”, conta com orgulho Sueli Souza Barros, 44 anos. Moradora de Paço do Lumiar (MA), ela estava desempregada quando resolveu fazer o curso de auxiliar de cozinha do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e mudar de vida. “Tenho o Bolsa Família, na época ajudava a comprar comida e o material escolar do meu filho. Mas a gente vivia apertado”, lembra.

Mesmo gostando de cozinhar, Sueli conta que conseguir um emprego era difícil porque as vagas na área exigiam a qualificação. “Por mais que você saiba, se não tem como comprovar, não adianta nada. Agora tenho uma qualificação profissional e posso mostrar o meu diploma”. Sueli hoje trabalha como auxiliar de cozinha na Associação Maranhense Adventista, cozinhando para mais de 80 pessoas. 

“Fazemos apenas comidas vegetarianas na associação. Eu já aprendi a comer, não tive problema. É comida saudável com mais qualidade.”

A maranhense é otimista quanto ao futuro: quer crescer e melhorar profissionalmente. O próximo passo é fazer um curso específico de comida vegetariana. “Ainda quero construir o quartinho para meu filho e uma cozinha maior. Quem gosta de cozinhar, tem que ter cozinha grande, né?”

Inclusão

O Pronatec é uma das ações de inclusão produtiva do Plano Brasil Sem Miséria, tendo os beneficiários dos programas de transferência de renda como seu principal público. Por meio do programa, a população de baixa renda, mesmo nas regiões historicamente com baixo desenvolvimento, tem acesso à qualificação profissional.

O Brasil Sem Miséria estimula também a formalização dos empreendedores como Microempreendedores Individuais (MEIs). Dessa forma, eles podem emitir notas fiscais, ter acesso à Previdência Social e registrar eventuais empregados ou colaboradores. Até janeiro deste ano, 28,2 mil pessoas inscritas no Cadastro Único se tornaram microempreendedores individuais no Maranhão. Desses, 14,4 mil recebem o Bolsa Família.

Ação local

Famílias do Maranhão que recebem o Bolsa Família terão mais um auxílio para manter os filhos na escola. O Programa Mais Bolsa Família Escola, desenvolvido pelo governo do estado, irá transferir o equivalente a uma parcela do benefício para a compra de material escolar de 1,5 milhão de estudantes. A estratégia do governo do Maranhão complementa as políticas do Plano Brasil Sem Miséria, desenvolvido para o combate à pobreza e à extrema pobreza no Brasil.

O estado cresceu economicamente nos últimos anos, mas ainda tem um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. Em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o Plano de Ações Mais IDH promove a superação da extrema pobreza e das desigualdades sociais no meio urbano e rural do Maranhão, por meio de estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. O foco inicial são os 30 municípios com menor IDH-Municipal.

Fonte:

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

    Print       Email